Últimas Notícias

Crivella rompe contrato com concessionária e manda derrubar pedágio da Linha Amarela

Além de romper o contrato, ele mandou derrubar todas as cancelas que impediam a passagem de veículos sem o pagamento de pedágio.
SÃO PAULO (FOLHAPRESS) - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), anunciou neste domingo (27) o rompimento do contrato de concessão da Linha Amarela para a Lamsa, que administrava uma das mais importantes vias expressas da cidade.
Além de romper o contrato, ele mandou derrubar todas as cancelas que impediam a passagem de veículos sem o pagamento de pedágio. 
A medida foi publicada no Diário Oficial de sexta-feira (25) e executada neste domingo. A administração da linha expressa será realizada a partir de agora pela Secretaria Municipal de Transportes.
Segundo a prefeitura, sensores e câmeras foram inutilizados durante a operação e as cabines de cobrança foram descaracterizadas com o desligamento de energia pela RioLuz. 
A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Linha Amarela, instalada na Câmara dos Vereadores, teve o relatório final aprovado por unanimidade na semana passada e entre as recomendações estava a de reequilíbrio econômico-financeiro do contrato.
Em entrevista após o resultado da CPI, Crivella disse que o prejuízo para o município com a concessão chega a R$ 1,6 bilhão. O prefeito e a concessionária travam disputas em torno da cobrança do pedágio desde o início do governo. Crivella acusa a empresa de irregularidades.

Logo após o anúncio do fim do contrato, a Lamsa divulgou nota oficial em que chama a decisão do prefeito de mandar destruir a praça de pedágio de "ato de abuso extremo de autoridade, sem precedentes na história e sem amparo jurídico". 
De acordo com a concessionária, o ato colocou em risco a segurança dos funcionários e dos usuários da via expressa. 
"A concessionária, uma empresa do Grupo Invepar, condena veementemente a decisão ilegal e abusiva do poder municipal, que só causará transtornos à sociedade carioca", diz a nota.
A Lamsa informou ainda que vai à Justiça contra a medida da prefeitura.
Da Redação
Com Click PB
O PortalUmari esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É importante informar que qualquer exagero político e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PotalUmari o gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário, agradece o administrador do PortalUmari Carlos Alcides.

Portal Umari - O fato em primeira mão! by PortalUmari Copyright © 2014

Tecnologia do Blogger.